A ciência e a Inteligência Artificial

JC Notícias, 18/07/2023

Nova edição especial do Jornal da Ciência já está disponível para download gratuito, trazendo reportagens sobre os impactos das novas tecnologias na educação, pesquisa científica, saúde, trabalho, além de entrevista e artigo de cientistas e especialistas

Na segunda década do milênio, as redes sociais tomaram o lugar dos chamados “gatekeepers” (Guardiões dos Portões) que, na linguagem jornalística norte-americana, significa “aqueles que decidem o que deve e o que não deve ser divulgado”.

Neste ano de 2023, quando se celebram dez anos das jornadas de protestos de 2013, nenhuma análise séria deixa de levar em conta o papel das redes sociais naqueles eventos determinantes para tantas reviravoltas políticas no Brasil e no mundo, nos anos subsequentes. As pessoas passaram a se expressar direta e coletivamente deixando para trás os intermediários que há séculos controlam a opinião pública. Para denominar essa transformação social do ponto de vista político, foi cunhado o termo “cyberdemocracia”.

A chegada do ChatGPT, no fim de 2022, marca uma nova etapa na relação da humanidade com a tecnologia. Não que a Inteligência Artificial (IA) seja uma grande novidade. Na verdade, ela começou a ser desenvolvida nos anos 1950 por matemáticos e cientistas da computação em alguns países, porém ficou mais conhecida a partir do trabalho de um grupo de pesquisadores do laboratório da Universidade de Michigan, liderados por Claude Shannon, aos quais se juntou o conhecido cientista inglês Alan Touring.

O mérito das plataformas como ChatGPT e DALL-E (da OpenAI), o Bard (da Alphabet-Google) e Midjourney foi popularizar uma ferramenta até agora com aplicação restrita a grandes projetos espaciais, militares ou industriais. Esta edição do Jornal da Ciência trata das transformações prometidas pela IA.

Desde a pesquisa científica – que atinge um novo patamar, com ferramentas que podem mudar completamente a forma de estudar e produzir –, até a saúde, que já está vivendo uma revolução, inclusive no Brasil, a IA deve balançar o mundo como o conhecemos. E não necessariamente para melhor.

Para tratar o tema de uma forma séria, realista e sem influência da propaganda comercial – como é característica do JC Especial –, trouxemos entrevistas com especialistas que analisam a fundo a questão. Uma delas é a nova coordenadora do Comitê Gestor da Internet (CGI), Renata Mielli, a primeira mulher a assumir o posto em 28 anos de existência do órgão. Em artigo escrito exclusivamente para esta edição, os cientistas Fernando Filgueiras, Ricardo Fabrino Mendonça e Virgílio Almeida falam sobre o importante papel das ciências sociais na retomada do controle da algoritmização da sociedade e, consequentemente, na proteção da nossa combalida democracia.

Esta edição marca também uma nova fase da SBPC. Após o trabalho desenvolvido no biênio 2021-2023 de enfrentamento a um Governo Federal marcado pelo negacionismo e por ataques à Ciência, quase toda a Diretoria da instituição foi reeleita para atuar pelos próximos dois anos, de 2023 a 2025. Nessa segunda etapa, nosso compromisso é seguir reafirmando a importância da competência científica do País, da melhoria da infraestrutura de apoio à pesquisa e, sobretudo, dos novos desenhos e articulações que o Brasil vive.

Baixe gratuitamente seu exemplar do novo JC neste link e boa leitura!

Renato Janine Ribeiro | Presidente da SBPC

Fernanda Sobral | Vice-presidente da SBPC