MEC e Inep divulgam resultados da Alfabetiza Brasil

JC Notícias – 01/06/2023

Professoras e especialistas das cinco regiões do Brasil participaram do estudo. Nota de corte nacional para alfabetização deverá ser implementada no Saeb. Acesse os resultados da pesquisa

O Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgaram, nessa quarta-feira, 31 de maio, os resultados da pesquisa Alfabetiza Brasil, que dará suporte às políticas de avaliação da alfabetização, lideradas pelo Governo Federal e pelas redes públicas estaduais e municipais de ensino. O evento, na sede do Inep, em Brasília (DF), contou com as presenças do ministro da Educação, Camilo Santana, e do presidente da Autarquia, Manuel Palacios.

Durante os meses de abril e maio, Inep e MEC consultaram professoras alfabetizadoras e outros especialistas, com o objetivo de chegar a uma definição sobre o conjunto de habilidades que devem caracterizar o perfil de aprendizagem da leitura e da escrita esperado ao fim do 2º ano do ensino fundamental. A partir dos resultados da pesquisa, esse perfil foi interpretado, considerando a escala de proficiência do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb).Com a análise combinada das informações coletadas, estabeleceu-se o parâmetro em 743 pontos.

As crianças que alcançam esse patamar são capazes de realizar leitura e processos básicos de interpretação de texto, com base na articulação entre texto verbal e não verbal, como em tirinhas e histórias em quadrinhos. Além disso, escrevem (ainda com desvios ortográficos) textos que remetem a situações da vida cotidiana, como um convite ou um lembrete. São leitores e escritores que iniciam sua jornada autônoma no mundo da leitura e da escrita, com a necessidade de serem acompanhados com investimentos pedagógicos para consolidar esse processo e avançar nele.

Definição dos padrões – O esforço liderado pelo Inep para alinhar os padrões de avaliação da alfabetização no Brasil é um dos pilares da política que o MEC lançará, em breve, com esse enfoque. “Garantir um pacto nacional é uma das ações prioritárias e a pesquisa faz parte dessa estratégia. Vamos apoiar, não só na indução técnica, mas também no aspecto financeiro e de governança, o que inclui o fortalecimento da formação e qualificação dos professores, o material didático, entre outros fatores. Então, era importante padronizar os indicadores para todo o país. A Alfabetiza Brasil irá nos nortear”, explicou Camilo Santana.

Segundo Manuel Palacios, “o objetivo era definir, com a melhor técnica possível, qual seria o padrão de desempenho mais adequado para a alfabetização no país”, afirmou. O presidente do Inep destacou, ainda, a participação preponderante das professoras de todas as regiões do país na pesquisa. “Certamente são as pessoas que farão com que o compromisso pela alfabetização do Ministério da Educação alcance todos os estados e municípios brasileiros”, avaliou.

Também participaram do evento o diretor de Avaliação da Educação Básica do Inep, Rubens Campos de Lacerda Júnior; a representante do grupo de especialistas, Hilda Linhares; o presidente do Conselho Nacional de Educação, Luiz Curi; o representante do Conselho Nacional de Secretários de Educação, Rossieli Soares; e o presidente da União dos Dirigentes Municipais de Educação, Luiz Miguel Martins Garcia.

Assista ao seminário de apresentação dos resultados

Acesse os resultados da pesquisa

Inep